Motor On Line
Notícias-

Lucas volta a competir no México onde já venceu duas vezes na Fórmula E
Reportagem: Rodolfo Siqueira
BestPR Comunicação
Atual campeão mundial prevê corrida difícil, mas avisa: "Vamos pra cima!"

A pista da Cidade do México está gravada na memória da Fórmula E como o palco de uma das mais sensacionais vitórias da história da categoria. No ano passado, com um carro que não era dos melhores naquele traçado, o brasileiro Lucas Di Grassi largou apenas em 15º, foi obrigado a ir ao box para trocar a asa traseira logo no início da corrida e, depois de andar em último, empregou estratégia e arrojo que lhe garantiram o primeiro lugar de forma espetacular.

No próximo sábado (3), Di Grassi volta ao traçado mexicano, novamente com uma missão gigantesca pela frente: o atual campeão mundial já sabe que perderá dez posições no grid devido à necessidade de reparo do mesmo problema técnico que o impediu de brigar pela vitória nas quatro etapas já realizadas na temporada 2017/2018. Mas Lucas e sua equipe estão determinados: “Acho que vencer essa prova será uma tarefa perto do impossível. Mas enquanto estivemos na pista, temos chance, como mostramos no ano passado. E não vamos desistir. Vamos pra cima novamente”, diz o piloto brasileiro. “Nossa meta é buscar nosso melhor final de semana na temporada. Se conseguirmos terminar a prova e garantir alguns pontos, sem termos problemas técnicos, já seria sensacional”.

A equipe Audi Sport ABT Schaeffler acredita que já tem a solução para o problema técnico do conversor que tem impedido Lucas de terminar as corridas. Mas o regulamento determina que o conserto só pode ser efetivado após um período de 30 dias da data do problema. Como a prova anterior foi realizada em três de fevereiro (Santiago, Chile), o carro de Lucas só poderá ter o problema sanado para a corrida de Punta del Leste (Uruguai), dia 17 de março. Na corrida anterior, Di Grassi já havia recebido o pênalti de dez posições no grid, o que o obrigou a abrir mão do quinto lugar e sair apenas em 15º na formação de largada. Quanto já estava em quinto e pronto para atacar o pelotão de frente, com chances de pontuar ou ir ao pódio, a falha no conversor o tirou da prova. “Se o carro não quebrar no México, temos chances de brigar por pontos”, diz Lucas. “Vamos fazer o nosso melhor e torcer para que o problema não se manifeste novamente”.

Duas provas, duas vitórias – A vitória em 2017 foi a segunda de Lucas na pista do México. No ano anterior, quando o ePrix mexicano fazia sua estreia na categoria, o brasileiro também cruzou a linha de chegada no primeiro lugar com muita autoridade, abrindo larga vantagem para o segundo colocado. Mas sua vitória foi anulada devido a um erro do engenheiro do time, que não mediu o peso das baterias e deixou um dos carros do brasileiro com 1,5 kg a menos do que manda o regulamento. “Foi uma vitória também importante, muito bem construída por todos, e acho que essa diferença de peso não contou muito no resultado”, diz Lucas. “No entanto, regra é regra e isso é incontornável. Foi uma pena, por que foi uma grande corrida que fizemos”.

A quinta etapa do Campeonato Mundial de Fórmula E terá largada às 19h (de Brasília), com 45 voltas pelos 2.093 metros do Autódromo Hermanos Rodríguez. A corrida será transmitida ao vivo pelo canal Fox Sports.

Notícias

Página inicial